sexta-feira, 23 de março de 2012

Carta ao Prefeito do Rio de Janeiro - homenagem à Mariska Ribeiro


Excelentíssimo Sr. Prefeito da Cidade do Rio de Janeiro
Dr. Eduardo Paes
Tomei conhecimento de que um novo hospital municipal será em breve inaugurado e de que feita a sugestão de que o órgão venha a se chamar “Hospital Mariska Ribeiro”. Junto-me, pois, às amigas e companheiras Hildete Pereira de Mello Jacqueline Pitanguy, Leila Linhares, e demais feministas, autoras da proposta, para, igualmente, expressar minha modesta opinião quanto ao acerto da proposta.
Conheci Mariska Ribeiro em reunião do movimento feminista, em 1975, e, desde então, juntas, participamos de diversas ações pró-igualdade e plena cidadania das mulheres. Mais que companheiras do movimento, tornamo-nos amigas e amigas permanecemos até o dia da morte dela.
Homenagear Mariska não é só reconhecer a importância de sua contribuição ao movimento de mulheres, com ênfase nas questões da saúde e dos direitos reprodutivos. Mariska foi também uma vibrante fomentadora de cultura e, com seu olhar inovador, atuou nesta área em projetos da Secretaria de Governo do Estado do Rio de Janeiro.
Na verdade, não conheço mulher mais carioca do que Mariska. Exímia conhecedora e amante da música popular, Mariska pesquisou a imagem da mulher nas canções brasileiras e publicou um livro delicioso – “Mulher Brasileira, uma história cantada” (edição do Conselho Nacional dos Direitos da Mulher/Ministério da Justiça). Este trabalho despertou nela o desejo de escrever roteiros para shows de MPB - o primeiro foi, então, baseado no referido livro. Produziu outros, inclusive, sobre as músicas que cantam a cidade do Rio de Janeiro.
Movida por genuína consciência feminista, Mariska nunca esteve alheia à realidade da condição da mulher e a de seu povo, de sua cidade. Soube viver intensamente cada momento da vida, sempre pensando em cidadania no plural, com foco na harmonia da coletividade.
Mais que uma homenagem de praxe da Prefeitura a uma notável cidadã carioca, dar o nome de Mariska Ribeiro a um hospital público de atendimento à mulher é selar o reconhecimento da força construtiva das mulheres desta cidade. É homenagear a luta de cada uma de nós, mulheres, por uma cidade melhor, por uma vida melhor, pelo direito ao atendimento digno e público em todas as áreas, notadamente, nas áreas de saúde e educação.
Por tais razões e outras tantas que eu pudesse expor, Caro Prefeito, voto em Mariska Ribeiro para dar nome ao hospital a ser inaugurado. Aproveito o ensejo para parabenizar vossa iniciativa de criar mais uma unidade de atendimento à saúde, na esperança de que um dia, não mais vejamos na TV aquelas tristes reportagens - gente estirada pelos corredores dos hospitais públicos, os pedros pedreiros (invocando Chico Buarque) e “a mulher de Pedro esperando um filho para esperar também”... “pela sorte, pela morte, pelo Norte...” Aquela “esperança aflita, bendita, infinita” de um dia ser alguém com plenos direitos de cidadania.
Certa de que Vossa Excelência é sensível não só às palavras do poeta, como também ao projeto de um futuro melhor para a cidade do Rio de Janeiro, subscrevo-me cordialmente.   
Comba Marques Porto
carioca, feminista, Juíza do Trabalho aposentada

Observação: esta carta foi enviada em 22/03/2012, e, no mesmo dia, respondida pelo Sr. Prefeito nos seguintes termos: "é claro que ela será homenageada".  Muito bom!!! 

3 comentários:

  1. Fiquei muito feliz em ter passado no concurso público para ingressar como Enfermeira no Hospital da Mulher Mariska Ribeiro. Agora conhecendo um pouco de sua história e suas batalhas me sinto orgulhosa em contribuir para a saúde das mulheres brasileiras, em nome desta guerreira que foi a Senhora Mariska.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seu comentário me emociona. Mariska, de onde esteja, vai lhe mandar boa sorte nessa nova etapa profissional. Parabéns por sua aprovação no concurso. também passei pela experiência de prestar um concurso que me trouxe muitas alegrias.
      Contamos com você para que este Hospital que leva o nome de Mariska corresponda à expectativa das mulheres quanto aos serviços de saúde.
      Abraço
      Comba

      Excluir
  2. Fiquei muito feliz por ter passado no concurso para uma das vagas de técnica de enfermagem, mas hoje estou triste com um comentário que sempre ouvi sobre os concursos feito pela prefeitura, e que infelizmente vivenciei para acreditar ser uma verdade, MUITOS PASSAM, POUCOS SÃO CHAMADOS; isso aconteceu comigo passei em um concurso para merendeira em 2008, com boa pontuação só havia errado duas questôes, não fui chamada, fui até a prefeitura, lá me atenderam e falaram que eu seria a proxima a ser convocada, cadê? passei no concurso para o hospital maternidade Mariska Ribeiro, cadê? E o pior é que eles estão fazendo seleção por analise de curriculos; E o nosso dinheiro, nosso tempo,nossas esperança, nossa alegria, investidos nessa palhaçada chamada concurso; Você me desculpa minha amiga isso não tem nada haver com a sua carta, que por sinal é muito linda, mais isso tudo de homenagem é só para "INGLÊS"ver, porque a realidade que vivemos é outra totalmente diferente;Em pensar que ao votar estaria me sentenciando a essa trágica situação!

    ResponderExcluir